Destaques

Notícias

 
FALTA DE MEDICAMENTOS É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA ALEPE

Dirigentes do CRF-PE e do SINFARPE participaram da audiência e hipotecaram apoio à causa dos pacientes que convivem com a falta de medicamentos.O drama vivido pela população que depende dos medicamentos fornecidos pela Farmácia de Pernambuco foi assunto de audiência pública promovida na manhã desta quarta-feira, 15, pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE).A audiência foi proposta pelo deputado William Brigido (PRB) com o objetivo de debater as causas e as conseqüências do desabastecimento de medicamentos na Farmácia do Estado, situação que vem se arrastando há mais de cinco anos e que se agravou nos três últimos anos, atingindo seriamente pacientes que necessitam dos insumos para garantir a sobrevivência. Uma audiência com o mesmo objetivo solicitada pela deputada Priscila Krause (DEM) já havia sido rejeitada em abril passado.Durante o debate, deputados da Comissão de Cidadania da ALEPE e representantes de órgãos e entidades criticaram o Governo do Estado pelo descaso com a rede estadual de assistência farmacêutica, que vem funcionando precariamente devido ao desabastecimento de medicamentos, colocando em risco a vida milhares de pessoas.Participaram da audiência representantes do Ministério da Saúde, do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), da Defensoria Pública da União (DPU), da Defensoria Pública do Estado (DPE), do Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco (CRF-PE), do Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de Pernambuco (SINFARPE), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e do Conselho Regional de Medicina (CREMEPE). A Secretaria Estadual de Saúde foi convidada e, apesar de confirmar que estaria presente, não enviou representante.A audiência foi acompanhada por pacientes vítimas da crise do desabastecimento. Através de cartazes eles expuseram o seu drama com pedidos de socorro. Alguns contaram que não recebem seus medicamentos de uso contínuo há mais de um ano, agravando quadros de diabetes (cegueira) e retorno para transplante de rins devido à falta dos medicamentos prescritos. De acordo com a presidente da Comissão de Cidadania, Jô Cavalcante (PSOL) a situação da assistência farmacêutica no Estado está beirando o caos. “Em 2018 houve uma redução de 95% nos gastos dos recursos próprios estaduais para aquisição de medicamentos e insumos farmacêuticos excepcionais.”A deputada Priscila Krause (DEM) apresentou números que atestam a redução sistemática dos recursos para a Farmácia. “Houve anulação de R$ 23,13 milhões e crédito de R$ 7,36 milhões, resultando numa redução total de R$ 15,77 milhões”. Segundo a parlamentar, o Estado está com um débito de mais de 70 milhões com fornecedores de medicamentos.Declarando que a falta de remédios tem afetado outros Estados, o deputado João Paulo (PCdoB) destacou que “a Secretaria Estadual de Saúde montou força-tarefa para manter os estoques da Farmácia de Pernambuco e tem realizado negociações para assegurar o reabastecimento nas próximas semanas”. O parlamentar também leu nota divulgada pelo órgão.A presidente do CRF-PE, Gisêlda Lemos, afirmou que o trabalho do órgão tem como foco o atendimento das demandas da sociedade, sendo a assistência farmacêutica um dos direitos que vêm sendo negados à população. “Vamos sempre defender essa bandeira. Estamos abertos para discutir o que for pautado na política a assistência farmacêutica e da Saúde Pública”.A dirigente sugeriu a definição de ações que devem ser adotadas pelo Estado em curto, médio e longo prazo, no sentido de solucionar os problemas do desabastecimento de medicamento e da saúde pública em Pernambuco. “Temos a Política Estadual de Assistência Farmacêutica, aprovada pelo Conselho Estadual de Saúde no ano passado, mas até o momento não foi implementada. Essa é uma demonstração de que a saúde pública não é prioridade”. Afirmou.Também presente, o conselheiro federal do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Bráulio César de Sousa destacou o papel do farmacêutico como profissional de saúde e parte importante na integralidade da assistência à saúde. Ele elogiou a iniciativa da Comissão de Cidadania, de discutir o problema da falta de medicamentos. “Fico surpreso pelo não acolhimento da pauta pelo governo”. Exclamou.Representando o Conselho Estadual de Saúde (SES), Veridiana Ribeiro (também presidente do Sindicato dos Farmacêuticos de Pernambuco) considerou que a falta de medicamentos acontece em outros Estados, “mas o desabastecimento que ocorre em Pernambuco é vergonhoso e inadmissível. Pessoas estão morrendo, perdendo órgãos transplantados e sofrendo com a descontinuidade dos tratamentos”. Ressaltou.Assista ao vídeo: https://bit.ly/2QcmkWY

CRF-PE e DAFARCS realizam quinta edição da Corrida e Caminhada pelo Uso Racional de Medicamentos

O Diretório Acadêmico de Farmácia da Universidade Federal de Pernambuco (DAFARCS) e o Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco promovem, no dia 26 deste mês (domingo), a quinta edição da Corrida e Caminhada Pelo Uso Racional de Medicamentos. Como nas edições anteriores, o percurso será realizado no campus da UFPE.A iniciativa faz parte da campanha que tem como objetivo chamar a atenção da população para os graves problemas provocados pelo uso incorreto e indiscriminado de medicamentos em nosso país.A V Corrida e Caminhada pelo Uso Racional de Medicamentos terá início com a concentração, às 7h do domingo (26/05), em frente à Biblioteca Central da UFPE. A largada está prevista para as 8h.Poderão participar atletas experientes e amadores. O percurso da corrida é de 5km. Os três primeiros colocados nas categorias masculino e feminino receberão o troféu de vencedores.As inscrições e demais informações sobre a corrida estão disponíveis neste link: https://ufpedafarcs.wixsite.com/usoracionalIV CORRIDA E CAMINHADA PELO USO RACIONAL DE MEDICAMENTOSData: 26 de maio de 2018Concentração: 7h, em frente à Biblioteca Central da UFPELargada: 8h Distância a ser percorrida: 5kmInscrições: https://ufpedafarcs.wixsite.com/usoracional

 
Acadêmicos de Farmácia e farmacêuticos ocupam a praça para levar serviços e orientações à população

Na manhã do último sábado (11/05/2019), acadêmicos de Farmácia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e farmacêuticos ocuparam a Praça da Várzea, Zona Leste do Recife em mais uma ação em prol da saúde da população. Além da distribuição de impressos sobre uso racional de medicamentos, descarte seguro de medicamentos e orientação farmacêutica, também foram oferecidos à população local os serviços de aferição de pressão arterial e testes de glicemia.Cerca de 40 estudantes participaram da ação, organizada pelo Conselho Regional de Farmácia (CRF-PE) e pelo Diretório Acadêmico de Farmácia Carl Scheele, da UFPE, com apoio da Distribuidora Drogafonte.As diretoras do CRF-PE, Gisêlda Lemos (Presidente), Sarah Ximenes (Vice-Presidente) e Joyce Nunes (Diretora Tesoureira) estiveram presentes, além do conselheiro federal do CFF, Bráulio César de Sousa.“Ações como essa são importantes, seja para mostrarmos à população a importância do nosso trabalho, seja como exercício de cidadania para os nossos acadêmicos”, resumiu Giselda Lemos.Veja o álbum de fotos da ação em nossa fanpage: http://bit.ly/2W1nDx6Assista ao vídeo: https://bit.ly/2VVMtj3

AÇÃO SOBRE USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS NA POLICLÍNICA AGAMENON MAGALHÃES

O mês de maio vem se consolidando a cada ano como oportunidade de propagação da campanha pelo uso racional de medicamentos. Em Pernambuco, o Conselho Regional de Farmácia trabalha para que a campanha pelo URM cresça cada vez mais. Além das ações que promove individualmente, o CRF-PE apoia ações educativas com o objetivo de alertar sobre os riscos relacionados à automedicação.Nesta quarta-feira (08/05), por exemplo, com apoio do órgão, estudantes do curso de Farmácia da Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS) levaram informações sobre uso racional dos medicamentos aos pacientes da Policlínica Agamenon Magalhães, localizada no bairro de Afogados, em Recife.Além das orientações sobre URM, foram realizadas aferição de pressão arterial e testes de glicemia. Também foram aplicados questionários para aferir o índice de procura do farmacêutico pela população quando esta vai à farmácia.Ao mesmo tempo em que eram realizados os atendimentos, uma palestra acontecia no auditório do centro de saúde. A ação foi coordenada pela docente da Faculdade Pernambucana de Saúde, farmacêutica Mônica Henrique e por Margarete Pontes, responsável pela Farmácia da Família da Policlínica Agamenon Magalhães.

 
Ação educativa e corrida evidenciam riscos da automedicação

Organizadas pelo CRF-PE e Diretório Acadêmico de Farmácia da UFPE, atividades integram as ações da campanha pelo Uso Racional de Medicamentos. Pesquisa feita pelo Conselho Federal de Farmácia e Datafolha, divulgada no dia 27 abril, mostra que 47% dos brasileiros se automedicaram pelo menos uma vez por mês nos últimos seis meses. Longe de ser uma solução rápida, a automedicação pode trazer consequências mais graves do que se imagina: intoxicações, reações alérgicas, dependência e, em alguns casos, o óbito.No intuito de alertar a população sobre os riscos que envolvem a automedicação, entidades farmacêuticas de todo o país escolheram o dia 05 de maio como o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos.Em Pernambuco, para evidenciar a data, O Conselho Regional de Farmácia (CRF-PE) e o Diretório Acadêmico de Farmácia Carl Sheele da Universidade Federal de Pernambuco (DAFARCS-UFPE) realizam, durante o mês de maio, duas importantes ações.A primeira ação acontecerá no próximo sábado (11/05), na Praça da Várzea, zona leste do Recife. Trata-se de uma ação educativa. Na ocasião, farmacêuticos, professores e estudantes de Farmácia da UFPE e de outras instituições de ensino vão orientar a população sobre uso seguro, armazenagem e descarte correto dos medicamentos. Haverá também a prestação de serviços gratuitos de aferição de pressão arterial e aplicação de testes de glicemia.Também com o objetivo de chamar a atenção para os problemas causados pela automedicação, CRF-PE e DAFARCs promovem, no dia 19 de maio, a 5ª Corrida e Caminhada pelo Uso Correto dos Medicamentos. A atividade ocorrerá no campus da UFPE. As inscrições serão abertas em breve.CAMPANHA DO USO RACIONAL DE MEDICAMENTOSAÇÃO EDUCATIVA SOBRE URMData: 11/05/2018 | Hora: 8h às 12hLocal: Praça da Várzea – RecifeServiços: Orientação sobre medicamentos, Aferição da pressão arterial e Teste de glicemia

#UsoRacionaldeMedicamentos

#UsoRacionaldeMedicamentos – Pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF) e Instituto Datafolha revela que, quando o assunto é medicamento, a maioria da população costuma arriscar e usar sem orientação. A automedicação é hábito comum a quase 80% da população que usou medicamentos nos últimos seis meses. Não arrisque! Antes de usar qualquer medicamento, consulte sempre um farmacêutico. Quer saber mais sobre a pesquisa CFF/Datafolha e sobre a campanha nacional de conscientização “Saúde não é jogo”, iniciativa dos conselhos de Farmácia em comemoração ao dia 5 de maio, o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, acesse o link – https://bit.ly/2GMR7GG#saúdenãoéjogo #UsoRacionaldeMedicamentos #DiaNacionaldoURM#5deMaio #CRFPE

 
AÇÃO SOLIDÁRIA LEVA SERVIÇOS E ORIENTAÇÕES EM SAÚDE PARA ESCOLA NA COMUNIDADE DO CARANGUEJO

O domingo ontem (28/04) foi diferente para os alunos e familiares da escola Mércia de Albuquerque Ferreira, localizada na comunidade do Caranguejo, no bairro da Ilha do Retiro, em Recife. Durante toda a manhã, os espaços da escola foram preenchidos com uma ação solidária em benefício da comunidade.A iniciativa partiu da equipe multidisciplinar de professores e estudantes dos cursos de Farmácia, Direito, Nutrição e Enfermagem da Faculdade Estácio, em parceria com o grupo de voluntários “Farmácia para o Bem”, com apoio do Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco (CRF-PE).A ação teve início com o café da manhã para os presentes. Em seguida, as salas de aulas foram ocupadas com oficinas, brincadeiras, teatro de fantoches e orientações sobre higiene e uso racional dos medicamentos. Aferição de pressão arterial, estes de glicemia capilar, avaliação nutricional e orientações jurídicas foram outros serviços prestados durante a ação.A atividade foi supervisionada pela coordenadora do Curso de Farmácia da Faculdade Estácio, Andrea Apolinário e contou com a participação da Presidente do CRF-PE, Gisêlda Lemos e do conselheiro Regional, Aldo César Passilongo, além do assessor Arlindo Nunes, do CRF-PE.

Problemas Telefonia Fixa

Tendo em vista a recente mudança do atendimento do CRF-PE para o imóvel reformado (anexo), nossa telefonia fixa ainda enfrenta problemas. Enquanto o sistema não está normalizado, o contato com a nossa sede em Recife pode ser feito da seguinte forma:1 - POR TELEFONIA MÓVELAtendimento (Silane): (81) 9.9246-2218Fiscalização (Haidee): (81) 9.9451-7649Fiscalização (Ingrid): (81) 9.9451 7549Administrativo (Arlindo): (81) 9.9117-4790Diretoria (Daniella): (81) 9.9451-7435Jurídico (Bergson): (81) 9.9451-8277Contabilidade(Wellington): (81) 9.9451-7682Contabilidade(Vanildo): (81) 9.9117-5000Comunicação (Francisco): (81) 9.8996-21902 – POR E-MAILAtendimento: atendimento@crfpe.org.brJurídico: juridico@crfpe.org.brFiscalização: fiscalizacao@crfpe.org.brContabilidade: contabilidade@crfpe.org.brTec. da Informação: ti@crfpe.org.brDiretoria: secretaria@crfpe.org.brComunicação: crfpernambuco@gmail.com3 - SERVIÇOS ONLINE: http://186.223.130.44:8080/servicos/

 
Quase metade dos brasileiros que usaram medicamentos nos últimos seis meses se automedicou até uma vez por mês

Uma pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio do Instituto Datafolha, constatou que a automedicação é um hábito comum a 77% dos brasileiros que fizeram uso de medicamentos nos últimos seis meses. Quase metade (47%) se automedica pelo menos uma vez por mês, e um quarto (25%) o faz todo dia ou pelo menos uma vez por semana. Inédita na história dos conselhos de Farmácia, a pesquisa investigou o comportamento dos brasileiros em relação à compra e ao uso de medicamentos, e servirá para subsidiar uma campanha nacional de conscientização, em comemoração ao dia 5 de maio, o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos.LEIA O RELATÓRIO COMPLETO AQUI.O estudo detectou ainda uma modalidade diferente de automedicação, a partir de medicamentos prescritos. Nesse caso, a pessoa passou pelo profissional da saúde, tem um diagnóstico, recebeu uma receita, mas não usa o medicamento conforme orientado, alterando a dose receitada. Esse comportamento foi relatado pela maioria dos entrevistados (57%), especialmente homens (60%) e jovens de 16 a 24 anos (69%). A principal alteração na posologia foi a redução da dose de pelo menos um dos medicamentos prescritos (37%). O principal motivo alegado foi a sensação de que “o medicamento fez mal” ou “a doença já estava controlada”. Para 17%, o motivo que justificou a atitude foi o custo do medicamento – “ele é muito caro”.Também foi observado que 22% dos entrevistados que utilizaram medicamentos nos últimos seis meses tiveram dúvidas, mesmo em relação aos medicamentos prescritos, principalmente no que diz respeito à dose (volume e tempo) e a alguma contraindicação contida na bula. O mais grave é que cerca de um terço dos entrevistados não procurou esclarecer as dúvidas e, desses a maioria parou de usar o medicamento. Depois do médico, a internet e a bula são as principais fontes de informação para sanar dúvidas relacionadas ao uso de medicamentos. Os farmacêuticos (que prescreveram ou dispensaram o medicamento) foram a quarta fonte mais consultada, tendo sido citados por 6% dos entrevistados.Ainda em relação ao uso de medicamentos sem prescrição, a frequência da automedicação é maior entre o público feminino. Mais da metade das entrevistadas (53%) informou utilizar medicamento por conta própria, pelo menos uma vez ao mês. Os mais conscientes em relação à importância de se orientar com um profissional da saúde antes de usar qualquer medicamento são os moradores da Região Sul, onde 29% dos entrevistados declaram não utilizar medicamentos por conta própria, sem prescrição. A maioria das pessoas entrevistadas afirmou que se automedica quando já usou o mesmo medicamento antes (61%). A facilidade de acesso ao medicamento foi outro fator determinante, principalmente entre o público jovem, de 16 a 24 anos (70%).Familiares, amigos e vizinhos foram citados como os principais influenciadores na escolha dos medicamentos usados sem prescrição, nos últimos seis meses (25%), embora, 21% dos entrevistados tenham citado as farmácias como a segunda fonte de informação e indicação. “Vamos trabalhar para que a população entenda que ela tem ao seu alcance, nas farmácias, um profissional da saúde especialista em medicamentos, que é o farmacêutico. Muita gente não sabe, mas o farmacêutico pode inclusive prescrever os medicamentos isentos de prescrição (MIPs). É sempre mais seguro contar com o auxílio desses profissionais do que utilizar medicamentos por conta própria”, comenta o presidente do Conselho Federal de Farmácia, Walter da Silva Jorge João.Medicamentos mais usados – Por meio da pesquisa foram identificados, também, os medicamentos mais utilizados pelos brasileiros nos últimos seis meses. É surpreendente o alto índice de utilização de antibióticos (42%), somente superado pelo porcentual declarado para analgésicos e antitérmicos (50%). Em terceiro lugar ficaram os relaxantes musculares (24%). O uso de antibióticos foi maior nas regiões Centro-Oeste e Norte (50%). Os medicamentos utilizados nos últimos seis meses com prescrição, em sua maioria, foram indicados pelos médicos (69%), mas a prescrição farmacêutica, regulada pelo Conselho Federal da Farmácia (CFF) em 2013, pela Resolução/CFF n° 586/2013, foi citada por 5% dos entrevistados.Aquisição dos medicamentos - A maioria dos brasileiros (88%) compra os medicamentos que utiliza, sendo que 30% consegue esses produtos na rede pública/SUS. Outras maneiras citadas foram o uso de amostras grátis ou doações. A obtenção de medicamentos na rede pública/SUS é maior entre pessoas com mais de 60 anos (50%) e entre moradores da Região Sul (41%). Com exceção dos medicamentos para diabetes (insulina, hipoglicemiantes orais), é mais comum a compra dos demais.Descarte – A pesquisa apurou também qual é a forma mais usual de descarte dos medicamentos que sobram ou vencem, e 76% dos entrevistados indicaram maneiras incorretas para a destinação final desses resíduos. Pelos resultados da pesquisa, a maioria da população descarta sobras de medicamentos ou medicamentos vencidos no lixo comum. Quase 10% afirmaram que jogam os restos no esgoto doméstico (pias, vasos sanitários e tanque. Metodologia – A pesquisa quantitativa foi realizada com a população brasileira a partir de 16 anos de idade e que utilizou medicamentos nos últimos seis meses. A coleta de dados foi feita pelo Datafolha, entre os dias 13 e 20 de março de 2019. Com uma amostra de 2.074 pessoas, o estudo teve abrangência nacional, incluindo capitais/regiões metropolitanas e cidades do Interior, de diferentes portes, em todas as regiões do Brasil. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.Campanha – Com o tema saúde não é jogo, a campanha nacional de conscientização pelo uso racional de medicamentos está sendo realizada pelo Conselho Federal de Farmácia e os 27 conselhos regionais vinculados ao Sistema CFF/CRFs, em alusão ao Dia Nacional pelo Uso Racional de Medicamentos, comemorado no dia 5 de maio. Com uma linguagem acessível, a campanha chama a atenção da população para que não se arrisque jogando o jogo da automedicação. A orientação é que ao usar qualquer medicamento, a pessoa consulte sempre um farmacêutico. A veiculação das peças será principalmente por meio da internet/mídias digitais.A pesquisa CFF/Datafolha foi destaque no jornal Folha de S. Paulo. Leia a reportagem AQUI. Fonte: Comunicação CFF

Comunicado

Comunicamos aos profissionais farmacêuticos, técnicos de laboratório de análises clínicas e demais usuários do Conselho Regional de Farmácia do Estado de Pernambuco que o atendimento ao público na sede do órgão, em Recife, e em suas subsedes em Caruaru, Garanhuns, Serra Talhada e Petrolina foi restabelecido nesta quarta-feira (24/04/2019).A interrupção no expediente nos dias 17, 18, 22 e 23 foi necessária para a transferência da estrutura de atendimento para o imóvel anexo à sede, cuja reforma foi concluída e onde o passará a ser realizado provisoriamente todo o atendimento, até a conclusão da reforma do imóvel principal.Em breve os usuários do CRF-PE contarão com uma sede moderna, ampla, confortável e com serviços cada vez mais qualificados.

 
ATENÇÃO! PRORROGADA PARA QUARTA-FEIRA (24/04) VOLTA NO ATENDIMENTO NA SEDE E SUBSEDES DO CRF-PE

Informamos que o atendimento ao público na sede do CRF-PE e em suas subsedes no interior do Estado, antes previsto para ser retomado na próxima segunda-feira (22/04) somente se dará na quarta-feira (24/04). A prorrogação no reinício das atividades deve-se à não conclusão, pelas operadoras de telefonia, no prazo previsto, dos serviços de instalação dos sinais de telefone e de internet no imóvel anexo, no qual será realizado provisoriamente todo o atendimento, até a conclusão da reforma do edifício principal. Destaque-se que a gestão do CRF-PE adotou todos os procedimentos necessários ao pleno funcionamento do órgão na data prevista. Inclusive, todos os setores do CRF-PE já estão devidamente instalados no imóvel reformado, restando apenas os sinais de telefonia e internet, sem os quais o atendimento fica inviabilizado, já que o acesso à base de dados despende desses canais, inclusive nas subsedes do interior.Lamentamos pelo imprevisto e pelo transtorno dele decorrente. Estamos trabalhando para proporcionar serviços cada vez mais qualificados e com conforto para os nossos usuários. A DIRETORIA

 
Semana Pelo Uso Racional de Medicamentos

Diretores e assessores do CRF-PE reunidos na tarde desta segunda-feira (08/04) com diretores do Diretório Acadêmico de Farmácia Carl Scheele, da UFPE. Na pauta do encontro o planejamento das ações a serem desenvolvidas com o objetivo de evidenciar a Semana Pelo Uso Racional de Medicamentos, que acontecerá no mês de maio.Na foto, no primeiro plano, da esquerda para a direita: George Torres e Valquíria Guimarães (Diretores do DA), Sarah Ximenes e Leandro Medeiros (Diretores do CRF-PE). Em pé, da esquerda para a direita: Francisco Libório, Daniela Monteiro, Rosália Carvalho e Arlindo Nunes (Assessores).